quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Representação da cena "o beijo" de Gustav Klimt (teatro-tarde) 06/09/11















































“Um poema que eu vejo recitado é sempre
uma mentira; na vida comum, devo ver o
homem que fala comigo porque a maioria de
suas palavras não tem significado algum sem
sua presença. Mas um poema, ao contrário, é
um conjunto de palavras tão extraordinárias
que a presença do poeta está amarrada para
sempre; e ele não tem permissão para se livrar
de seu cárcere voluntário, uma alma preciosa
dentre tantas, para substituí-la pelas
manifestações quase sempre insignificantes de
uma outra alma porque, nesse momento, essas
manifestações não são tão compreensíveis.”Maeterlinck
Joseph...

Nenhum comentário:

Postar um comentário